poema. ficou o lamento

Um mar de palavras num oceano de paixao,

Um morto gemido, gemido no nosso templo,

Vives no fiel da balança,

Atitude de criança,

E assim partiste !

Foste fraca,

ardilosa,

muito, muito triste.

 

foram almejos trocados por beijos fraternos,

Invernos, ifernos   que caímos…

Dei-te o que pensava que podia,

Maldito, maldito o dia,

Que te conheci,

Que nos vimos.

 

És passado e presente doloroso,

Falha, navalha que me rasga por dentro…

Maldito sejas,

maldito o momento…

Que custoso!

Tanto ódio,

Tanto lamento.

 

Autor:

 

Socram